Hipnose e Hipnoterapia

Hipnose é o nome dado a alguns fenômenos do pensamento intensificados, ocorrendo de forma coerente e induzidos, de maneira percebida ou não, por parte do hipnoterapeuta (pela comunicação) e/ou paciente (pelo pensar deste).

Estes fenômenos, dentro do método da Hipnoterapia Educativa, são assim divididos:

MEMÓRIA

  • Amnésia: esquecer-se de pensamentos anteriores;
  • Hipermnésia: lembrar-se de forma nítida de pensamentos passados;
  • Regressão de idade: reviver pensamentos passados como se fossem presentes.

IDEOMOTORES

  • Catalepsia: Enrigecimento dos músculos sem a fadiga durante o estado hipnótico;
  • Movimentos “Alavancados”: São os movimentos pausados;
  • Escrita Automática: Dissociação de sistemas de raciocínios, onde o raciocínio da escrita independe de qualquer outro raciocínio que esteja acontecendo.

IDEOSENSORIEDADE

  • Alucinação positiva: pensamento tornado realidade sensível para o indivíduo;
  • Alucinação negativa: pensamento que interrompe a realidade sensível;
  • Anestesia: pensamento que interrompe estímulos táteis;
  • Analgesia: pensamento que amortiza estímulos táteis;
  • Hiperestesia: pensamento que aumenta a sensibilidade tátil.

RACIOCÍNIOS SOBRE O FUTURO

  • Progressão de idade: acreditar encontrar-se num futuro não percebido como projetado;
  • Pseudo-orientação no futuro: pensar o futuro a partir do presente.

RAZÃO

  • Signo-sinal: elemento(s) associado(s) ao estado de transe ou hipnose;
  • Dissociação de elementos: quebra de ligação entre dois elementos já aprendidos;
  • Duplicação de sistemas de raciocínio: duas atividades psíquicas ocorrendo ao mesmo tempo independentes uma da outra;
  • Sugestão pré-hipnótica: cadeia de raciocínio pensado anteriormente à hipnose;
  • Sugestão pós-hipnótica: pensamento desenvolvido em hipnose para ocorrer após a hipnose;
  • Sobre si: a forma como a pessoa pensa em si.

NOÇÃO DE TEMPO

  • Expansão da noção de tempo: parecer ter passado mais tempo que passou;
  • Condensação da noção de tempo: parecer ter passado menos tempo do que passou.

Hipnoterapia é o uso da hipnose na busca da superação de diferentes sofrimentos de base emocionais, e por vezes, orgânico.

Os fenômenos do pensamento chamados de hipnose mais utilizados em psicoterapia são hipermnésia e pseudo-orientação no futuro, caso parte do processo seja o trabalho com dor, também analgesia e anestesia.

É imprescindível lembrar que existem inúmeras abordagens teóricas de compreensão da psique, mas poucas abordam alguns destes fenômenos. Aquelas que o fazem, terão diferentes conceitos de como entendê-los, defini-los e trabalhá-los.

A Hipnoterapia Educativa foi desenvolvida à partir da Psicoterapia desenvolvida por Milton H. Erickson, pela Hipnoterapia Pavloviana, e filósofos como Jean-Jacques Rousseau, André Comte-Sponville, Aristóteles, entre outros. A partir desta abordagem, propõe-se o estudo da “hipnose” (como um todo) e de suas possibilidades nas diferentes áreas, neste momento com foco na psicoterapia e psicossomática.

As classificações e definições dos fenômenos do pensamento chamados de hipnose neste texto são da Hipnoterapia Educativa.

Vale lembrar que a ocorrência de muitos destes fenômenos, quando involuntária, freqüente e incoerente, é chamado de psicose.